A infraestrutura de TI no pós-coronavírus

A pandemia do coronavírus está trazendo diversos desafios para as empresas, suas equipes e sua infraestrutura de TI. Logo de início, o home office mostrou-se como uma das estratégias mais adequadas para o momento. Esse foi um dos passos para a aceleração da transformação digital que se iniciava. A partir daí, muitos foram os questionamentos sobre os próximos passos da gestão na crise – e boa parte das pautas eram sobre a infraestrutura de TI. 

Em um mundo altamente conectado como o que estamos vivendo, a tecnologia da informação se mostra cada vez mais como uma área estratégica, que precisa ser pensada para que toda a companhia funcione. Hoje, principalmente em meio à pandemia, podemos compará-la à energia elétrica nos tempos da Era Industrial. Nesse sentido, a infraestrutura de TI precisa ser robusta, alinhada às novas tecnologias para facilitar o desenvolvimento digital. 

INFRAESTRUTURA DE TI

Os líderes de TI estão com uma grande responsabilidade nas mãos: fazer o que for possível para garantir o fluxo das operações e a segurança dos dados – agora, ainda mais acessados fora do escritório. Esse desafio está sendo superado aos poucos e, ainda que o momento peça agilidade, não é possível “passar a carroça na frente dos bois”. Todo esse cenário é novo e a gestão na crise pede inovação, mas também paciência para que as medidas sejam tomadas de forma prudente. 

Sabendo do turbilhão de informações que são construídas e repassadas no meio do olho do furacão, ainda assim é preciso começar a olhar para o futuro – mesmo que ele seja incerto. Até agora, a única certeza é que estamos vivendo uma quarta revolução industrial, que valoriza e necessita da infraestrutura digital para ocorrer. Com isso em mente, podemos esquematizar tudo o que já passamos durante essas semanas de isolamento e começar a traçar um caminho para o pós-coronavírus: 

  • Tecnologia para pessoas 

A infraestrutura de TI deve ser mais valorizada, levando em consideração possíveis crises. Para isso, ela passará por uma humanização: as pessoas devem estar no centro do processo para que os projetos sejam criados para facilitar ainda mais os colaboradores, consumidores, líderes e todos os envolvidos com tecnologia, 

  • Cloud first 

As aplicações em nuvem devem ganhar bastante destaque pela economia de recursos, segurança, escalabilidade e facilidade no acesso remoto. Será preciso que os líderes de TI façam um mapeamento estratégico daquilo que pode ser levado para a nuvem, revendo os modelos tradicionais e apostando no que é novo e comprovadamente mais rentável. 

Para saber como sair na frente e se preparar para esse mundo pós-pandemia, entre em contato conosco e saiba como podemos auxiliar nesse processo de transformação da sua TI.