Computação em nuvem: híbrida e multicloud

A computação em nuvem está ganhando cada vez mais espaço. Com a explosão do coronavírus pelo mundo, a nuvem se mostrou como uma alternativa ainda mais interessante para flexibilizar diversos modelos de trabalho. Nessa discussão, surgem duas maneiras de se trabalhar: nuvem híbrida e multicloud. Mas você sabe quais os benefícios de cada uma delas?  

É importante destacar, primeiramente, que não se trata da mesma coisa. A nuvem híbrida é um dos modelos mais utilizados pelas empresas de grande porte, que utilizam, em um único ambiente, a nuvem pública e a privada (por isso seu nome “híbrida”). Já o multicloud é uma tendência mais recente, que trata de um ambiente formado por diversas nuvens públicas, com fornecedores diferentes. A ideia é aproveitar o melhor que cada fornecedor tem a oferecer. 

Mas como escolher entre a nuvem híbrida e a multicloud? 

Para garantir uma computação em nuvem que realmente resolva seus problemas é preciso conhecer aquilo que você necessita, para conseguir escolher a melhor solução. Quando falamos em nuvem híbrida, temos preços atrativos e a escalabilidade da nuvem pública e a maior privacidade dos dados da nuvem privada. Isso permite o compliance das empresas e ainda traz outras vantagens:

  • Maior flexibilidade, por atuar com dois tipos de nuvem em um único ambiente 
  • Otimização de processos 
  • Reações mais rápidas às mudanças de mercado

Por outro lado, uma estratégia multicloud permite uma variedade maior de benefícios, por combinar diferentes fornecedores – podendo extrair o melhor de cada um deles. Aqui, destacamos algumas das principais vantagens desse tipo de computação em nuvem: 

  • TI como serviço 
  • Sistemas resilientes  
  • Flexibilidade de recursos

A transformação da TI como parte estratégica das empresas tem gerado grande discussão acerca da escolha mais acertada do tipo de nuvem. Em geral, empresas mais robustas, complexas e já bem estabelecidas procuram a nuvem híbrida. Enquanto empresas que buscam elevar seus negócios e realizar uma transformação mais profunda em seus produtos e processos buscam a multicloud. Ainda assim, essa fórmula não é estática, pois nenhuma empresa que tem as mesmas características terá, necessariamente, as mesmas necessidades.  

Por isso, é importante contar com uma consultoria capacitada para agir junto a sua equipe, analisando de maneira personalizada as prioridades do negócio e identificando a solução que mais se adequa ao momento e ao propósito da empresa. Para isso, entre em contato conosco e saiba como escolher a sua estratégia de computação em nuvem. 

A arquitetura SOA e os sistemas complexos

A arquitetura SOA está ganhando destaque quando o assunto é sistema complexo. Saiba o porquê: 

As infraestruturas mais complexas estão surgindo de todas as maneiras possíveis. Ainda assim, precisamos manter a TI cada vez mais próxima dos negócios, como um setor que participa estrategicamente das decisões. Mas como unir essas duas características? Em meio às complexidades, existe um tipo de arquitetura que se encaixa perfeitamente nesse meio: a arquitetura SOA – ou arquitetura orientada a serviços. 

As corporações geralmente possuem departamentos bem definidos, separados. Mas a colaboração está se fazendo cada vez mais presente – principalmente em momentos de crise. É preciso integrar todos para que as inovações surjam, mas parece que a TI continua sendo um impasse. Entretanto, a arquitetura orientada a serviços tem como objetivo justamente a integração das aplicações, possibilitando uma maior flexibilidade para mudanças e o suporte para serviços independentes de plataformas e protocolos. Em resumo, a SOA funciona como um verdadeiro coringa de integração. 

São diversas as vantagens dessa arquitetura para as empresas. Aqui citamos algumas delas: 

  • Agilidade para atender novas demandas 

Posto que não é preciso mobilizar todo um setor para implementar uma pequena movimentação no sistema. 

  • Flexibilidade nas mudanças 

A arquitetura do tipo SOA suporta diferentes linguagens de programação em um mesmo sistema, por exemplo. Isso garante mais flexibilidade na hora de novas implementações. 

A arquitetura SOA foca na construção e na disponibilização de serviços de negócio, na evitação da replicação de dados, reuso e facilidade de manutenção de sistemas. Mas ainda assim, é preciso analisar se o sistema é realmente complexo para que a implementação seja feita de maneira efetiva. Afinal, é possível que, sem essa prerrogativa, a efetividade dessa arquitetura não seja um destaque. Além disso, antes de aderir à arquitetura SOA, é preciso garantir um servidor e uma rede com ótima performance, para que a infraestrutura funcione de forma veloz. 

Portanto, para realizar uma implementação de barramento SOA, saiba que será preciso analisar inicialmente seu sistema e compreendê-lo, a fim de realizar uma transição eficaz. Para isso, entre em contato conosco e saiba como podemos ajudar com essa arquitetura que visa facilitar o gerenciamento de sistemas complexos. 

A infraestrutura de TI no pós-coronavírus

A pandemia do coronavírus está trazendo diversos desafios para as empresas, suas equipes e sua infraestrutura de TI. Logo de início, o home office mostrou-se como uma das estratégias mais adequadas para o momento. Esse foi um dos passos para a aceleração da transformação digital que se iniciava. A partir daí, muitos foram os questionamentos sobre os próximos passos da gestão na crise – e boa parte das pautas eram sobre a infraestrutura de TI. 

Em um mundo altamente conectado como o que estamos vivendo, a tecnologia da informação se mostra cada vez mais como uma área estratégica, que precisa ser pensada para que toda a companhia funcione. Hoje, principalmente em meio à pandemia, podemos compará-la à energia elétrica nos tempos da Era Industrial. Nesse sentido, a infraestrutura de TI precisa ser robusta, alinhada às novas tecnologias para facilitar o desenvolvimento digital. 

INFRAESTRUTURA DE TI

Os líderes de TI estão com uma grande responsabilidade nas mãos: fazer o que for possível para garantir o fluxo das operações e a segurança dos dados – agora, ainda mais acessados fora do escritório. Esse desafio está sendo superado aos poucos e, ainda que o momento peça agilidade, não é possível “passar a carroça na frente dos bois”. Todo esse cenário é novo e a gestão na crise pede inovação, mas também paciência para que as medidas sejam tomadas de forma prudente. 

Sabendo do turbilhão de informações que são construídas e repassadas no meio do olho do furacão, ainda assim é preciso começar a olhar para o futuro – mesmo que ele seja incerto. Até agora, a única certeza é que estamos vivendo uma quarta revolução industrial, que valoriza e necessita da infraestrutura digital para ocorrer. Com isso em mente, podemos esquematizar tudo o que já passamos durante essas semanas de isolamento e começar a traçar um caminho para o pós-coronavírus: 

  • Tecnologia para pessoas 

A infraestrutura de TI deve ser mais valorizada, levando em consideração possíveis crises. Para isso, ela passará por uma humanização: as pessoas devem estar no centro do processo para que os projetos sejam criados para facilitar ainda mais os colaboradores, consumidores, líderes e todos os envolvidos com tecnologia, 

  • Cloud first 

As aplicações em nuvem devem ganhar bastante destaque pela economia de recursos, segurança, escalabilidade e facilidade no acesso remoto. Será preciso que os líderes de TI façam um mapeamento estratégico daquilo que pode ser levado para a nuvem, revendo os modelos tradicionais e apostando no que é novo e comprovadamente mais rentável. 

Para saber como sair na frente e se preparar para esse mundo pós-pandemia, entre em contato conosco e saiba como podemos auxiliar nesse processo de transformação da sua TI. 

Como fazer um monitoramento de TI efetivo

A tecnologia da informação é indispensável para qualquer empresa. O monitoramento da TI também. Entretanto, parece que muitas organizações ainda não conhecem o verdadeiro sentido de fazer esse tipo de acompanhamento periódico. Mas sem esse controle, o resultado necessariamente será a obsolescência dos equipamentos, dos sistemas e da rede utilizada, impedindo o bom funcionamento de toda a organização. 

Existem vários benefícios decorrentes do monitoramento da infraestrutura de TI. Alguns deles são: redução de custos operacionais, aumento da segurança, melhor dimensionamento dos investimentos. Além de garantir, ainda, o aumento da produtividade e a estabilização e a rapidez dos sistemas. 

Mesmo assim, é preciso seguir alguns passos para fazer um monitoramento realmente eficaz. Aqui, separamos alguns passos que podem tornar essa ação menos complexa: 

Defina e acompanhe as métricas 

Para gerenciar qualquer operação é preciso saber medir o desempenho. Por isso é necessário criar indicadores que lhe ajudaram na análise futura. Também é importante definir o que precisa ser analisado, por exemplo: se você busca analisar a produtividade de determinado sistema ou aparelho, use métricas de trabalho. Mas se você busca investigar e diagnosticar problemas, trabalhe com métricas de pesquisa, utilizando relatórios de quedas no sistema, por exemplo, que vão apresentar informações relevantes, como a média de capacidade usada, infraestrutura em uso, registro de erros obscuros, etc. 

Gerencie as configurações 

A gestão de configurações aumenta as chances de sucesso, afinal, é através dela que o gestor pode analisar mudanças e identificar possíveis conflitos. Além disso, é esse tipo de gestão que pode evitar o acesso não autorizado, aumentando a proteção de dados. 

Use boas ferramentas de monitoramento 

Por fim, mas não menos importante, saiba quais ferramentas você está utilizando, garantindo a boa procedência delas. Aqui na Winner IT temos um time capacitado, preparado para fazer o monitoramento da sua infraestrutura de TI de maneira completa, através de ferramentas flexíveis, que darão o acompanhamento que o seu negócio precisa. Para saber mais, entre em contato conosco. 

Integração de sistemas: como implementar essa mudança

A integração de sistemas é uma operação bastante comum nas empresas que começam a crescer. É a complexidade na gestão, garantida pelo desenvolvimento de novos projetos, que faz essa integração ser necessária. Do contrário, veríamos setores cada vez menos integrados e áreas mais desconectadas devido ao acesso escasso às informações importantes da companhia. 

O gerenciamento macro, principalmente em grandes empresas, é garantido pela integração de sistemas. Esse movimento permite um fluxo de trabalho mais simples e otimizado, criando um ambiente digital bastante integrado e democrático. Afinal, a troca de dados acontece de maneira responsável, mas sem priorizar setores. Assim, o tempo de execução dos trabalhos é reduzido e a eficácia das soluções é ainda maior. 

São diversas as técnicas que os gestores de TI podem permitir para garantir essa integração: 

Plataformas de cloud computing 

Na nuvem, as comunicações ganham mais segurança e confiabilidade, pois a troca de dados é feita em ambientes isolados, geridos pelo líder da equipe. 

APIs  

O uso de APIs agiliza a adaptação dos sistemas para um ambiente mais livre, onde a troca de informações é constante. Elas podem ser facilmente implementadas, permitindo a ampla criação de serviços e funções de um software. 

As vantagens da integração são claras: melhoria na performance e otimização dos processos. Mas como realizar essa operação sem maiores problemas?  

  1. Verifique se a infraestrutura é compatível

Confira se o software escolhido é capaz de integrar o seu sistema. Para isso, faça uma análise da complexidade do sistema e trabalhe na padronização do próprio sistema antes mesmo de integrá-lo. 

  1. Invista na integração fracionada

É difícil realizar a integração total dentro de uma empresa que possui departamentos independentes em funcionamento. Por isso, crie um plano de integração: entenda quais os principais pontos a serem integrados ao novo sistema e quais você pode postergar. Isso vai evitar danos a projetos importantes. 

  1. Certifique a segurança de rede

Antes de realizar a integração, garanta que a rede da sua empresa vai comportar o novo sistema com um bom nível de segurança das informações. Se você não estiver seguro disso, cuide primeiramente da sua infraestrutura de TI e depois implante o novo sistema. 

Esses são alguns dos cuidados necessários para realizar uma integração bem-sucedida dos seus sistemas. Mas para saber como montar um projeto completo, entre em contato conosco e saiba como podemos implementar essa mudança na sua empresa. 

O monitoramento proativo da TI e suas vantagens

O monitoramento proativo da infraestrutura de TI é um serviço importante para sua empresa. Trazendo para nossa realidade comum, imagine o seguinte: todos os dias você vai correr pela manhã. Geralmente você sai de casa e está um dia bonito, ensolarado, afinal a cidade onde você mora não costuma chover. Mas nesse dia específico, quando você está na metade da corrida matinal, uma nuvem escura de chuva se forma rapidamente. Só nesse momento você tem a certeza de que não voltará molhado pra casa apenas de suor. Assim também acontece com a sua infraestrutura de TI. 

Enquanto corredor matinal, você percebeu, pela experiência, que a chuva não é comum. Mas se você acompanhasse a previsão do tempo, provavelmente você teria a mesma certeza, sem precisar se molhar nenhum dia. Essa garantia é a que encontramos no monitoramento de TI – de forma ainda mais acurada, pois a previsão do tempo pode errar facilmente, mas na infraestrutura isso é diferente.  

Aqui na Winner IT, por exemplo, contamos com gráficos, alertas, painéis, filtros AD-HOC e outros serviços para levar a excelência ao monitoramento de TI. Dessa forma, será possível evitar os problemas antes mesmo que eles aconteçam. Assim, os servidores, equipamentos de rede, banco de dados e outros componentes importantes da infraestrutura estarão mais protegidos. Aqui, separamos três vantagens do monitoramento proativo da sua infraestrutura de TI: 

  • Redução ou eliminação do tempo de inatividade 

Quando se investe em monitoramento proativo, reduz-se o tempo de inatividade da operação. Afinal, podemos nos antecipar ao problema antes mesmo que ele ocorra. Assim, profissionais de TI e outros gestores podem caminhar juntos, na mesma direção, para evitar grandes danos. 

  • Minimização dos prejuízos gerados por desastre 

Segundo estudo realizado pela Emerson Network Power, as empresas perdem cerca de US$5.000 por minuto em um desastre com a infraestrutura. Esse prejuízo deve-se à redução no número de vendas, perda de clientes e queda na produtividade da equipe. Mas tudo isso pode ser evitado se o ambiente for monitorado de forma proativa. 

  • Melhoria da qualidade dos serviços prestados 

Só é possível melhorar aquilo que se mede. Por isso é tão importante manter o monitoramento da infraestrutura: assim, consegue-se melhorar a qualidade dos serviços prestados, garantindo o funcionamento perfeito da TI. 

Para saber mais sobre esse serviço e garantir uma rápida tomada de decisão para corrigir possíveis problemas na sua infraestrutura, entre em contato conosco e possibilite um ambiente seguro para sua TI.

Home office e monitoramento de TI à distância

Home office para todos da empresa, rígida quarentena e uma ameaça constante de contaminação. Em pouquíssimo tempo, vimos o mundo se reestruturar. Essas mudanças foram sentidas por todos: tanto por aqueles que já tinham uma estrutura operacional bem resolvida quanto por aqueles que precisaram ”trocar o pneu com o carro andando”. Nesse cenário, como manter a empresa funcionando à distância e ainda garantir um monitoramento eficaz da TI? 

A essa altura, sua empresa já deve ter mudado sua operação para home office. Assim, gostaríamos de relembrar a importância do contato direto e da comunicação eficiente com sua equipe. É importante que estejam todos alinhados, afinal, a produtividade precisa ser mantida. Atente-se também para a saúde dos seus colaboradores: na hora de fazer uma call de alinhamento, ou de pedir o relatório diário, sempre pergunte como estão. 

Com o checklist de pessoal feito, é a hora de prestar atenção na segurança da sua operação. Garantindo as pessoas, agora é o momento de olhar para seus equipamentos. Como foi feita a transição dos dados para a nuvem? Houve preocupação com a VPN? Como está sendo o monitoramento do tráfego de dados? Essas são perguntas que você precisa se fazer. 

  • Nuvem 

Eficiente para as trocas de arquivos digitais, essa tecnologia é muito útil para as empresas que não precisam dar acesso total ao sistema interno. Mas já pensou em ter toda a sua operação na nuvem? Isso com certeza facilitaria os processos, principalmente nesse período de quarentena, quando toda sua equipe está em home office. Avalie a transição para o cloud computing, valorizando seus ganhos em produtividade. 

  • VPN  

A Rede Privada Virtual (em português) tem como objetivo a integração de dispositivos remotos às redes corporativas da forma mais segura possível. É através da VPN que conseguimos conectar dois ou mais computadores, permitindo o tráfego de dados de forma segura entre eles. É possível até mesmo a criptografia do tráfego de informações, ou seja, os dados trocados entre os computadores estarão completamente seguros.  

  • Monitoramento  

O monitoramento do tráfego dos dados de rede do computador do colaborador que está em home office é importante para verificar possíveis anomalias. Além de acompanhar os acessos, esses softwares conseguem monitorar horários de entrada e saída dos funcionários. Isso é importante para garantir o cumprimento da jornada de trabalho para que tudo funcione como se estivesse fisicamente na empresa 

Essas três medidas podem não parecer tão simples de serem implementadas, mas farão a diferença na rotina de trabalho da sua equipe e ainda vão garantir a segurança da sua empresa. Para qualquer tipo de monitoramento ou dúvida na sua infraestrutura de TI durante esse momento atípico, entre em contato conosco e saiba como podemos ajudar sua empresa a continuar funcionando, mesmo neste momento de crise.