Computação em nuvem: híbrida e multicloud

A computação em nuvem está ganhando cada vez mais espaço. Com a explosão do coronavírus pelo mundo, a nuvem se mostrou como uma alternativa ainda mais interessante para flexibilizar diversos modelos de trabalho. Nessa discussão, surgem duas maneiras de se trabalhar: nuvem híbrida e multicloud. Mas você sabe quais os benefícios de cada uma delas?  

É importante destacar, primeiramente, que não se trata da mesma coisa. A nuvem híbrida é um dos modelos mais utilizados pelas empresas de grande porte, que utilizam, em um único ambiente, a nuvem pública e a privada (por isso seu nome “híbrida”). Já o multicloud é uma tendência mais recente, que trata de um ambiente formado por diversas nuvens públicas, com fornecedores diferentes. A ideia é aproveitar o melhor que cada fornecedor tem a oferecer. 

Mas como escolher entre a nuvem híbrida e a multicloud? 

Para garantir uma computação em nuvem que realmente resolva seus problemas é preciso conhecer aquilo que você necessita, para conseguir escolher a melhor solução. Quando falamos em nuvem híbrida, temos preços atrativos e a escalabilidade da nuvem pública e a maior privacidade dos dados da nuvem privada. Isso permite o compliance das empresas e ainda traz outras vantagens:

  • Maior flexibilidade, por atuar com dois tipos de nuvem em um único ambiente 
  • Otimização de processos 
  • Reações mais rápidas às mudanças de mercado

Por outro lado, uma estratégia multicloud permite uma variedade maior de benefícios, por combinar diferentes fornecedores – podendo extrair o melhor de cada um deles. Aqui, destacamos algumas das principais vantagens desse tipo de computação em nuvem: 

  • TI como serviço 
  • Sistemas resilientes  
  • Flexibilidade de recursos

A transformação da TI como parte estratégica das empresas tem gerado grande discussão acerca da escolha mais acertada do tipo de nuvem. Em geral, empresas mais robustas, complexas e já bem estabelecidas procuram a nuvem híbrida. Enquanto empresas que buscam elevar seus negócios e realizar uma transformação mais profunda em seus produtos e processos buscam a multicloud. Ainda assim, essa fórmula não é estática, pois nenhuma empresa que tem as mesmas características terá, necessariamente, as mesmas necessidades.  

Por isso, é importante contar com uma consultoria capacitada para agir junto a sua equipe, analisando de maneira personalizada as prioridades do negócio e identificando a solução que mais se adequa ao momento e ao propósito da empresa. Para isso, entre em contato conosco e saiba como escolher a sua estratégia de computação em nuvem. 

A arquitetura SOA e os sistemas complexos

A arquitetura SOA está ganhando destaque quando o assunto é sistema complexo. Saiba o porquê: 

As infraestruturas mais complexas estão surgindo de todas as maneiras possíveis. Ainda assim, precisamos manter a TI cada vez mais próxima dos negócios, como um setor que participa estrategicamente das decisões. Mas como unir essas duas características? Em meio às complexidades, existe um tipo de arquitetura que se encaixa perfeitamente nesse meio: a arquitetura SOA – ou arquitetura orientada a serviços. 

As corporações geralmente possuem departamentos bem definidos, separados. Mas a colaboração está se fazendo cada vez mais presente – principalmente em momentos de crise. É preciso integrar todos para que as inovações surjam, mas parece que a TI continua sendo um impasse. Entretanto, a arquitetura orientada a serviços tem como objetivo justamente a integração das aplicações, possibilitando uma maior flexibilidade para mudanças e o suporte para serviços independentes de plataformas e protocolos. Em resumo, a SOA funciona como um verdadeiro coringa de integração. 

São diversas as vantagens dessa arquitetura para as empresas. Aqui citamos algumas delas: 

  • Agilidade para atender novas demandas 

Posto que não é preciso mobilizar todo um setor para implementar uma pequena movimentação no sistema. 

  • Flexibilidade nas mudanças 

A arquitetura do tipo SOA suporta diferentes linguagens de programação em um mesmo sistema, por exemplo. Isso garante mais flexibilidade na hora de novas implementações. 

A arquitetura SOA foca na construção e na disponibilização de serviços de negócio, na evitação da replicação de dados, reuso e facilidade de manutenção de sistemas. Mas ainda assim, é preciso analisar se o sistema é realmente complexo para que a implementação seja feita de maneira efetiva. Afinal, é possível que, sem essa prerrogativa, a efetividade dessa arquitetura não seja um destaque. Além disso, antes de aderir à arquitetura SOA, é preciso garantir um servidor e uma rede com ótima performance, para que a infraestrutura funcione de forma veloz. 

Portanto, para realizar uma implementação de barramento SOA, saiba que será preciso analisar inicialmente seu sistema e compreendê-lo, a fim de realizar uma transição eficaz. Para isso, entre em contato conosco e saiba como podemos ajudar com essa arquitetura que visa facilitar o gerenciamento de sistemas complexos.